Funchal prepara mais seis classificações de Património

foto: Madeira Antiga

Depois de hoje ter deliberado a classificação de Património de Interesse Municipal da Ponte Nova, da Ponte D. Manuel, sobre a Ribeira de Santa Luzia, e da Ponte de S. Paulo, sobre a Ribeira de S. João, a Câmara Municipal do Funchal prepara a classificação de outros seis imóveis.

Assim, os funchalenses vão poder contar com a protecção, sob o chapéu do interesse público, da Ponte do Ribeiro Seco, a Ponte da Praia Formosa, a recém-recuperada Fortaleza de S. Filipe, a Muralha da Cidade na Zona Velha, o segmento da muralha da Ribeira de Santa Luzia, compreendido entre a antiga Quinta Deão até à Ponte D. Manuel, e o segmento da muralha da Ribeira de João Gomes, compreendido entre o Campo da Barca e a ponte do Mercado dos Lavradores, estes dois últimos segmentos das chamadas muralhas do Brigadeiro Reinaldo Oudinot.

É um passo de gigante na preservação do património edificado da capital que encerra, aqui e ali, 500 anos de história e que, infelizmente, já não poderá contar com a Ponte da Saúde, na Ribeira de Santa Luzia, demolida no passado mês de agosto, no âmbito das intervenções em curso.

A cidade do Funchal é atravessada por três ribeiras que ao longo de décadas viram nascer pontes para facilitar a fluidez do trânsito. Às mais antigas, edificadas pedra sobre pedra, vieram juntar-se as construções modernas que hoje conhecemos, retirando a importância às outras, mas não lhes roubando a beleza arquitectónica em momento algum. Com uma verdadeira “cama” de buganvílias de diversas cores a cobri-las, as ribeiras foram fotografadas desde sempre pela sua beleza ímpar por milhares de turistas. Hoje, foi dado um passo importante para a preservação do património. Outros passos virão…

 

 

PARTILHAR:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Leave a Reply