Experimente o empreendedorismo jovem ao leme

Francisco Gouveia é um vencedor. Não de qualquer prémio ou competição, mas pela determinação com que encara a vida, apesar de ser ainda muito jovem.

Tem o mar por casa e um veleiro por local de trabalho, mas mais do que isso tem um escritório a perder de vista na linha do horizonte que se afigura à nossa frente num fim de tarde de primavera.

A Blue Adventure é o seu sonho, a sua paixão, a realização pessoal que o faz sair, muitas vezes, mais do que uma vez por dia, da Marina do Funchal na direção que os clientes quiserem. Durante quatro horas, até pode navegar para cá e para lá na baía, porque quem manda nesse momento são mesmo os que escolhem quatro horas diferentes do seu dia, ou numas férias, ou num encontro de amigos, ou num pedido de casamento. Mas aqui nem sempre a resposta é a que se espera.

Francisco conta que dos quatro pedidos de casamento acontecidos a bordo do veleiro, um deles acabou mal. Depois do momento que devia ser de alegria, rumou de novo à marina num profundo silêncio, sentindo que o oceano era pequeno demais para o namorado rejeitado e a namorada determinada. Mas também se lembra do momento em que um noivo combinou com ele um cenário romântico, ao ponto de Francisco ter mergulhado previamente perto do Clube Naval do Funchal, onde escondeu uma caixa com um anel, devidamente assinalado para o noivo o encontrar num mergulho posterior.

Realmente, durante a viagem de quatro horas o romance pairou no ar como um passarinho e a cumplicidade com que combinou tudo com o pretendente daquela mulher fê-lo gostar ainda mais do que faz diariamente. Gostar das viagens para ver o pôr-do-sol em que vai explicando, aqui e ali, a origem das fajãs, as espécies dos golfinhos e os edifícios que aparecem na orla e que suscitam a curiosidade de quem os vê.

Dificilmente poderia ter feito outra coisa da vida. Teve, desde pequeno, ligações ao mar, pois o avô praticava pesca e por vezes levava Francisco. Mas se não fosse assim teria herdado o gosto pelo mar dos pais. Aos dez anos ingressou na vela e desde então foi evoluindo na mesma proporção em que o gosto pelo mar foi aumentando. Houve que tomar opções. Não fez, por isso, o percurso secundário escolar normal. Entrou no curso de técnico de construção e reparação naval tendo já como horizonte escolher uma profissão ligada ao mar. Do seu currículo, faz parte uma travessia até o Brasil num veleiro, uma experiência inesquecível, entre outras vezes que deslocou embarcações de um porto para outro, como recentemente entre Funchal e Lisboa.

Quando terminou o curso, Francisco iniciou a sua actividade profissional como funcionário na empresa Blue Adventure. Na sua grande maioria, as funções passavam pela reparação e manutenção a embarcações. Por seu lado, essa empresa também tinha uma parceria com a empresa Paralelo 32, acordo que se mantém até os nossos dias e fez alguns charters, levando turistas e locais a bordo para diferentes viagens.

Foi nessa altura que o jovem, um exemplo de empreendedorismo sub-30, iniciou com maior frequência aquela que hoje é a sua principal função, a de skipper. Com algumas mudanças pelo meio, uma vez que agora é o sócio-gerente da empresa Blue Adventure, que adquiriu e Skipper da Paralelo 32. Continua a fazer alguns trabalhos de manutenção/reparação em embarcações, mas tem estado mais focado na realização de diversos tipos de charters em veleiros e barcos a motor, seja durante meio dia, o dia inteiro ou para ver um magnífico pôr-do-sol. Uma das propostas a pôr na agenda para este verão…

Quanto a preços e disponibilidade, podem ser obtidos através do https://www.facebook.com/BlueAdventureSailBoat/?pnref=lhc ou do telemóvel 966749056.

PARTILHAR:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone